18 de outubro de 2017

[Resenha] Meu Vício - Depois do Amor

Título: Meu Vício - Depois do Amor (Livro 02)
Autora: Kell Teixeira
Editora: Bezz
Páginas: 408
Ano: 2017
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora


Sinopse: “A cocaína foi o pior vício do Maycon, e ele, meu pior vício. Amá-lo é aquela mistura de dor e prazer. Olho em seus olhos, ambos estão machucados, nós nos machucamos e as feridas ainda estão sangrando, posso ver isso bem claro. Mas o destino resolveu brincar conosco, ele fez duas pessoas improváveis se amarem e aqui estamos nós, cheios de razões e com orgulho ferido, mas engolindo tudo com uma dose alta de prazer. Parece insano, nos acostumamos à dor, e por mais que eu queria correr, nunca dou de fato um passo para longe dele” 
Nessa sequência, a luta ainda é obscura e velhos fantasmas perseguem Maycon. Eles estão casados e têm um filho. Além de enfrentarem os problemas diários do casamento, tem a abstinência do Maycon e a insegurança da Elena. Eles se amam e apesar de toda a loucura, isso é algo notório. Mas Maycon, na falta da droga, se vê atormentado pelos demônios do passado. Meu vício - depois do amor, traz o enredo e dramas do primeiro livro, contudo revela um amadurecimento necessário para o casal que se encontra em situações complexas e lutam para se manterem unidos. Será que continuaremos a presenciar os milagres do amor?

Contém spoiler, se ainda não leu o primeiro volume pule para "Minhas impressões"
Leia a resenha do primeiro livro aqui.
Resenha
Maycon conseguiu se livrar da cocaína, mas sofre as consequências da abstinência. Casado com Helena há mais dois anos, vive para a sua mulher e filho. No entanto, há momentos em que ele sente muita falta da droga e é nesses momentos que as coisas realmente pioram muito. Ele quer se manter afastado das drogas, mas é difícil e a luta é constante.
"Tudo é questão de controle. Mas como se obtém controle? Estar no controle é uma mentira que você conta a si mesmo e essa ilusão o faz seguir adiante com a tosca promessa de um amanhã melhor. Isso é ser um humano, mentiras construídas sobre mentiras."
Helena amadureceu bastante, mas ainda tem atitudes que a fazem parecer aquela jovem tímida e inexperiente de quando ela conheceu o Maycon. Ela cobra muito dele e isso não é errado, claro, mas os dois brigam muito por causa das cobranças dela (acho que nenhuma mulher ia gostar de ver o seu marido enchendo a cara com uma "amiga" a noite toda).
Jayde alcançou fama e quase não passa mais tanto tempo com o Maycon, porém, sempre que está por perto, provoca brigas entre o casal e incentiva o Maycon a voltar para as drogas. A mãe dele continua se intrometendo muito na vida do casal e pensa que pode ditar as regras no casamento deles e na criação do neto, o que gera mais brigas entre eles.

O casamento não está indo tão bem, são muitas brigas e os motivos são sempre os mesmos. Elena não consegue compreender como é difícil para o Maycon ter que lidar com a falta da droga e a maneira como ela reclama acaba o pressionando. Maycon parece que vai explodir a qualquer momento e os dois vão se desentendendo. Ele, por outro lado, também não entende como é para ela deixar toda a sua vida para se dedicar exclusivamente a cuidar do marido em recuperação e do filho.
Elena quer voltar a trabalhar, mas tanto o Maycon quanto a mãe dele não acham certo ela deixar o filho e o marido para ir trabalhar, acham que mulher tem que ficar em casa e cuida do filho. Pensamento extremamente machista e retrógrado. Quando ela consegue uma escolinha para o filho e começa a trabalhar no mesmo lugar que o Maycon é que realmente o casamento deles é posto à prova.

Muita gente quer os dois separados e Elena é totalmente manipulável, ela dá ouvidos a quem não deveria e o resultado disso não é bom para o casal. Mas ela também aprendeu que precisa se valorizar mais, então, algumas atitudes de Maycon ela não aceita e bate o pé mesmo. Para continuarem juntos, Elena e Maycon vão precisar entender um ao outro e se apoiarem mais, apenas os dois, sem interferências de quem está de fora. Em um casamento é essencial que haja confiança e respeito, eles vão aprender isso da pior maneira possível.
"Maycon não se aceita e nem se perdoa por tudo que fez de errado e infelizmente não sei como ajudá-lo. Dói demais e começo a questionar onde estão os milagres do amor que todos dizem existir, porque até hoje, apesar de amá-lo, não presenciei um milagre sequer, apenas a dor."
Minha impressão
Eu gostei do primeiro livro e gostei bem mais desse segundo volume. A Kell Teixeira aborda temas fortes, infelizmente essa é a realidade de muitas famílias e ela faz isso de uma maneira que nós acreditamos naquilo que estamos lendo e nos faz ter raiva dos personagens. 

Maycon é um personagem problemático e que precisa de muita compreensão e apoio, ele luta para se manter afastado das drogas, mas sente que pode não resistir, ele não se sente digno do amor da esposa e do filho. Quando uma notícia muito ruim o pega de surpresa ele fica sem chão, seu mundo desmorona e ele perde o controle, nesse momento tudo fica ainda pior. 

Elena amadureceu muito com o tempo, mas continua com atitudes irritantes, principalmente por ser tão manipulável. Mas teve um momento que eu me surpreendi com o posicionamento dela e torci para que ela mantivesse a sua  postura e só voltasse atrás se houvesse uma mudança significativa da parte do Maycon. Os dois como casal erraram muito tanto no primeiro livro quanto nesse, mas aos poucos vão aprendendo com os seus erros e se adaptando um ao outro. Não é fácil para nenhum dos dois. 

Algumas coisas me incomodaram durante a leitura, mas uma delas foi em relação ao filho deles no período de brigas do casal. A mãe do Maycon fazendo a cabeça do menino contra a Elena e a Elena falando mal do Maycon, o que poderia provocar uma alienação na criança. Isso acontece em muitos casos reais, infelizmente.

Enfim, é um bom livro, que traz assuntos polêmicos e reais à trama e os aborda de uma maneira que mexe com o leitor. Quem leu o primeiro volume e gostou, também vai gostar desse segundo.

Minha nota para o livro

14 comentários:

  1. Nossa amei o enredo e que pena que tem um segundo vol, não podia tá completo. Mas vou anotar pq assunto sobre drogas muito me interessa! .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eu vi que esse é o segundo, o que eu queria dizer é que pq não põe tudo completo e que claro vou anotar Meu Vício que fala de Elena etc, Pois o primeiro é vício e depois meu vício depois do amor, gostaria que fosse completo pois o assunto muito me interessa!
      Bjs

      Excluir
  2. Uma trama bem realista pelo visto, que foge dos contos de fada, estes personagens estilo anti-heróis sempre me cativam mais que os mocinhos rsrs
    Não conhecia os livros, mas fiquei muito curiosa com a história. Dica anotada.


    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Nossa, já conhecia o primeiro livro, mas não sabia que tinha um segundo volume... Adorei saber, já que tenho bastante curiosidade de ler o primeiro. Adorei tua resenha, com certeza vou ler os livros!

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Não conhecia essas obras, achei a temática bem realista e importante nos dias de hoje, mas não faz meu tipo de leitura. Acredito que seja um livro meio triste, mas necessário, pois são tantas as pessoas que se perdem em meio a vícios. Vou anotar a dica para uma leitura mais em breve, no momento não é o que procuro.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu acho que ainda tenho o primeiro livro no Kindle, e fiquei curiosa para ler o segundo pela sua resenha mais antes tempo que ler o primeiro.

    ResponderExcluir
  6. Eu não tinha visto essas obras na versão física, são muito lindaas! Eu tenho o primeiro volume em e-book, mas ainda não tive a oportunidade de ler. E agora que eu li a sua resenha estou mais curiosa ainda. A história parece ser bem forte e ao mesmo tempo linda. Espero conferir em breve, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem? Não conhecia essa série. Acho que a temática abordada é ótima, gostaria que se falasse mais sobre drogas na literatura, não somente atrelada à música (como é de praxe, por causa de 'sexo, drogas e rock n roll'). A dinâmica do casamento não me atraiu, mas gostei dos problemas que envolvem o casamento. Já fiquei com maior raiva da mulher não poder trabalhar, como se ela fosse a única que precisava dar apoio ao filho e ao marido. Mas fiquei curiosa para saber como ela vai conseguir se manter na carreira com o problemas do casamento, ou se ela desiste da carreira (o que me faria ficar com mais raiva ainda hahaha). Achei muito pertinente esse machismo, pois é uma ótima reflexão sobre as mulheres atuais. Geralmente, livros desse gênero não me atraem muito, mas gostei muito desses elementos da narrativa, fiquei a fim de comprar, até hahaha. ótima resenha, me convenceu :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá Beatriz, eu já conhecia o primeiro e pelos seus comentários esse parece manter um bom ritmo e nível como o primeiro, adoro que a autora tenha escolhido um tema que não é tão comum.

    ResponderExcluir
  9. Menina, essa Elena tem que dar um chute nesse cara com essa mãe problemática, nossa. Bom, parece uma leitura que entusiasma para quem curte o estilo.

    ResponderExcluir
  10. Gostei da capa, e curto dramas familiares, quando vem com uma boa carga dramática, mas sem deixar o leitor cansado e sim motivado a saber mais da história. Curti a premissa, parece daquelas histórias que você sofre com os personagens ou se irrita, haha. Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  11. Interessante abordar os efeitos da abstinência mesmo após dois anos afastado das drogas. Espero que tenha sido feita muitas pesquisas, ou que o autor tenha vivido algo assim, pra não ser só fantasioso, para quem lida com o problema poder se identificar e quem sabe, ser de ajuda.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Gostei do tema e das capas, mas não senti que o desenvolvimento da trama irá me atrair. Só dando uma chance mesmo pra saber. Vale a pena pelo conteúdo trabalhado.

    ResponderExcluir
  13. Que bom que gostou ainda mais desse segundo livro. Agora isso de falar mal dos pais para a criança, acho que ia me irritar num nível que não conseguiria ler. Vi o efeito que isso teve sobre a minha irmã mais nova e acho completamente inadmissível.

    ResponderExcluir