15 de fevereiro de 2017

[Resenha] Meu Vício

Título: Meu Vício
Autora: Kell Teixeira
Editora: Bezz
Páginas: 390
Ano: 2015
Leia a sinopse no Skoob
*Cortesia da editora


Resenha:
Elena estuda psicologia e precisa entrevistar um usuário de drogas, é aí que ela conhece Maycon, um jovem que pouco se importa com o que a sociedade pensa sobre ele. Completamente opostos, Maycon e Elena vão tentar superar as dificuldades e as diferenças, para ficarem juntos. Enquanto tudo conspira para separá-los, o amor parece resistir, mas... Até quando? Continue lendo a resenha e saiba mais sobre a obra.
Elena é uma jovem tímida, estudante de psicologia e que precisa fazer uma entrevista com um viciado. Ela veio do interior e quase não tem amigos, mora no Campus da faculdade e divide o quarto com seu amigo, Kevin.  Elena está em nervos, pois os dias passam muito rápido e ela não tem ideia de onde conseguir a entrevista.

Sem saber o que fazer, Elena tem a "brilhante" ideia de experimentar um cigarro, para, ao menos, ter a sensação de usar uma droga e poder descrever na entrevista, mesmo consciente de que o cigarro não é uma droga ilícita. Mas ela logo percebe que não daria certo e desiste de tentar, então surge o Maycon! Ele pede um cigarro e quando ela fala sobre a sua tentativa frustada, ele lhe concede uma entrevista.
Maycon é um estudante de medicina, lindo, desinibido, usuário de drogas assumido (mas diz não ser viciado), ele gosta de cocaína e não se importa com o que as pessoas pensam sobre ele. Maycon faz o que quer e não tem limites. Seus pais são separados, mas para agradarem ao filho (ou medo de perdê-lo?) acabam fazendo todas as suas vontades, inclusive custeando o vício quando preciso. 

Maycon é bem popular na faculdade e Elena nunca chegou perto dele, eles são de mundos totalmente diferentes e nunca precisaram ficar de frente. Só que em um dia chuvoso ele vê uma garota sozinha no ponto de ônibus, se aproxima e pede um cigarro... Pronto, ainda que não quisessem, o destino dos dois se cruza e surge algo entre eles. 
O relacionamento entre eles vai surgindo aos poucos e no começo Elena tem um certo preconceito, mas quanto mais tempo ela passa com o Maycon, mais ela se apaixona por ele. Maycon também, a diferença é que ele deixa bem claro que não vai abandonar as drogas por causa dela. A jovem ingênua e inocente entra de cabeça no mundo de Maycon e não consegue acreditar em como alguém faz isso com a sua vida, por livre e espontânea vontade. 

O namoro passa por momentos difíceis, Elena percebe que não pode lutar contra a cocaína e que Maycon não quer ajuda. A cada dia, algo surge para colocar esse amor à prova. Mas chega um momento em que é preciso que ambos tomem atitudes radicais, ainda que se separem por causa de suas escolhas. 
Minha impressão
Meu Vício possui uma trama muito real, tão real que em alguns momentos eu tive vontade de esganar alguns personagens. Não é um romance fofo, cheio de momentos lindinhos, é uma trama que mostra o lado obscuro de um viciado e como é a sua realidade.

Bom, eu gostei da maneira como a história se desenvolve mas não gostei de certas atitudes de Maycon e me irritei com Elena por aceitá-las. Os pais dela são policiais e os pais dele não enxergam que o filho tem erros, acham que ele é perfeitinho. Então, quando os pais dela não aceitam o relacionamento deles, os pais dele não gostam e defendem o filho. Os pais dele foram os que mais me irritaram, acham que o dinheiro pode comprar tudo (inclusive a dignidade) e Maycon acaba tendo os mesmos pensamentos dos pais.

No universo do Maycon, o que não falta são amigos para incentivá-lo com seu vício, entre eles está Jayde. Ela tem um passado problemático e mora com ele, motivo de ciúmes para Elena. Jayde é uma megera, faz questão de colocar um contra o outro e, sempre que pode, provoca a Elena.

Mas eu quero deixar bem claro que tudo isso é o que deixa a trama muito mais real. Infelizmente, existem muitas Jaydes e muitos pais iguais aos do Maycon e a autora explorou esse lado maravilhosamente bem. Kell Teixeira soube nos mostrar como agem algumas famílias e como são os amigos de viciados, muitas vezes, por mais que eu não concorde e tenha me irritado durante a leitura, é exatamente assim que acontece.

Minha nota para o livro

17 comentários:

  1. Enredos cuja a realidade de narrativa se faz presente tende a nos deixar mais irritadas, até por conta das verdades encontradas. É justamente estas irritações que fazem o livro ser vom, afinal está mexendo com sentimentos reais. Não li ainda mas quero ler com certeza.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Autora abordou um assunto muito real e atual, pessoas que usam drogas mas acham que não são víciadas é o que mais tem por ai.
    Os personagenas, pelo qe percebi foram bem desenvolvidos também e adorei o universo universitário deles.

    ResponderExcluir
  3. Esse casal é bem o que dizem,os opostos se atraem.
    O tema que aborda é um forte e que infelizmnete é uma realidade, as drogas, muitos jovens as usam.
    Não tenho certeza se eu iria gostar por causa da forma como eles agem, enquanto ele faz coisas erradas e ela aceitando isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ia me esquecendo de dizer o quanto adorei a capa, a cor dela e a imagem ficaram lindas

      Excluir
    2. Bem interessante, além de falar de um tema muito real que está acabando com muitos jovens,eu lê um livro sobre suicídio a realidade se fez bem presente e as vezes inritado mesmo mais infelizmente é a pura verdade .
      Gostei dá sua resenha me deixou bem curiosa e o livro é lindo .
      Bjs

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Olá Beatriz tudo bem, não me recordo de ter lido um livro com um personagem usuários de drogas, e esse livro mostra um lado diferente de romances cliches, fiquei interessada para saber o rumo desses dois personagens, mesmo sabendo que tbm possa me irritar com as atitudes mencionadas, mas me parece que a autora usou da triste realidade que é o vício e criou uma boa história. Dica anotada. Bjkas

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu curto muito tramas assim. Esse livro me lembrou um pouco do "Meu Erro" da Cinthia Freire. Ainda não tive a oportunidade de ler essa obra, mas se a leitura for tão boa quanto o da Cintha tenho certeza de que a história é maravilhosa, e pela sua resenha, tenho quase certeza de que é. Dica anotada. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie tudo bem?
    Agora tô morrendo de curiosidade pela trama. Nunca li um livro com um tema de drogas! Existe uma primeira vez pra tudo e esse parece ser perfeito...
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Gostei da indicação, mais um livro que não conhecia, tema muito real, fiquei curiosa para saber o final, vamos ver se ele aparece na minha mão, para ser lido, kkkkk. Beijos


    Nara
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  10. Que perspectiva diferente! Me interessou bastante, principalmente por abordar algo não tão comum, talvez até tabu no meio literário. Gostei demais!

    ResponderExcluir
  11. Não faz meu estilo de leitura, mas a indicação é muito boa. Principalmente pra quem curte o gênero.

    ResponderExcluir
  12. 'Elena está em nervos, pois os dias passam muito rápido e ela não tem ideia de onde conseguir a entrevista.' como assim? ela estuda psicologia e não sabe onde conseguir a entrevista? Complicado isso. Muito complicado isso para o enredo. Tenho preocupação em saber como a temática de drogadição é trabalhada no texto.

    ResponderExcluir
  13. Não vou negar, o fato do Maycon ser mimada e dos pais passarem a mão na cabeça dele me deixou com pé atrás. Mesmo assim, acho valido a leitura por se tratar de um tema pouco usado: as drogas. E quando digo isso, falo sobre o que é realmente o dia a dia de um viciado.
    Gostei muito da sua resenha e acho que leria sim.
    Bjs, Mila

    http://esquadrao-literario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Então por sua resenha eu vi alguns erros estranhos ai, primeiro que acho que essa construção ficou estranha, dois estudantes de áreas medicas nesse ambiente de vicio e drogas é complicado, pode criar e reforçar estereótipos bem negativos, eu não leria o livro porque tenho medo de como isso foi desenvolvido e sei lá, bem estranho sabe? talvez seja birra porque também estudo psicologia, mas a premissa me passou essa ideia e achei bem ruim =/

    ResponderExcluir
  15. Essa historia dos pais de Maycon custearem o vicio dele é complicado, leria para saber o motivo, quanto ao romance de Elena e eu, parece ser algo meio estranho, gostaria de tentar a leitura, ams tenho medo de me desagradar.

    Beijos

    Viviana

    ResponderExcluir