24 de abril de 2018

[Resenha] Interferências

Título: Interferências
Autora: Connie Willis
Editora: Suma
Páginas: 464
Ano: 2018
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora


Sinopse: Combinando humor e romance, Connie Willis, ícone da ficção científica, entrega um livro envolvente sobre os perigos da tecnologia, do excesso nas redes sociais e... do amor. Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — são bem mais complicados do que ela esperava. Mais complicado do que ela esperava.

Resenha
Briddey trabalha em uma empresa de celulares (Commspan) que é concorrente da Apple e precisa inovar cada vez mais em tecnologia. Mas há rumores de que a Apple vai lançar um produto que vai acabar com a Commspan e eles precisam correr para oferecer um celular melhor e com um serviço completamente inovador.

A família de Briddey não sabe respeitar a privacidade de cada um e se intromete na vida dela constantemente, além de importuná-la inúmeras vezes durante o dia através de quaisquer meios de comunicação existentes. A família não gosta do namorado dela, o Trent, e por isso ela ainda não sabe como vai contar que vai fazer o EED com ele, um procedimento cirúrgico que é capaz de aumentar a empatia do casal e permite que percebam os sentimentos um do outro.
Trent também trabalha na Commspan e é um dos homens mais desejados, como na empresa todo mundo sabe da vida de todo mundo, logo surgiu um alvoroço por eles planejarem fazer o EED. Trent está totalmente apaixonado por Briddey e está ansioso para que ela possa sentir isso, eles conseguiram consulta com um dos médicos mais requisitados da área e se surpreenderam ao serem notificados de uma vaga que surgiu de última hora. Então resolvem fazer a cirurgia sem que ninguém soubesse e só revelariam depois que estivessem conectados. E então algo dá errado...

Briddey é a primeira a fazer o procedimento e quando acorda tem uma surpresa, além de não estar conectada emocionalmente ao seu namorado ela ainda é capaz de ouvir os pensamentos de outra pessoa! Ela fica assustada, não sabe o que está acontecendo e começa a criar algumas teorias. Mas C.B. tenta acalmá-la e diz que vai ajudar.
C.B. Schwartz é um esquisitão que trabalha no subsolo da empresa, ele é um gênio e tem sempre ótimas invenções de aplicativos para os celulares, mas ele é contra o uso excessivo de tecnologia e tentou convencer a Briddey a não fazer o EED porque poderia ter consequências indesejadas.

C.B. diz que Briddey não pode contar a ninguém que eles estão se comunicando telepaticamente porque o Trent pode achar que o EED só deu errado por ela estar emocionalmente envolvida com o C.B. e não com ele, ela também não pode contar ao médico porque ele  pode querer fazer exames e dizer que ela é louca. Enquanto isso, ela precisa driblar as investidas de Trent para saber se ela já está sentindo alguma emoção que ele está enviando e, ao mesmo tempo, tentar encontrar um meio de desconectar-se de C.B.
Minha impressão
Interferências é uma obra divertida e um pouco confusa, mas que prende a atenção do leitor muito facilmente e o envolve completamente durante a leitura.

Eu gostei demais desse livro, só que alguns momentos são meio complicados de entender - o que não tira a qualidade da obra. Quando a Briddey realiza o EED (não me perguntem o significado desta sigla porque não me lembro de ter visto isso no livro) e acorda conectada ao C.B. e não ao seu namorado ela fica desesperada e as coisas começam a ficar confusas. Ela está pensando e aí ouvindo os pensamentos de C.B. e aí ele fala com ela; ou alguém está conversando e ela não consegue se concentrar porque está conversando telepaticamente com o C.B.; e ainda tem mais algumas coisas se passando dentro da cabeça dela que se eu contar vai ser um tremendo de um spoiler, mas que deixa tudo ainda mais louco e tem momentos que fica realmente difícil de entender o que está acontecendo. Mas é um livro tão gostoso que nada disso atrapalha a leitura, é só ler com calma para não se perder e acompanhar a bagunça toda.

A primeira vez que C.B. apareceu na mente de Briddey eu achei que ele estava escondendo alguma coisa porque ele ficava falando para ela não contar a ninguém sobre isso, mas fui percebendo que ele realmente só queria ajudá-la - embora tenha mesmo um segredo ou dois - e fui gostando dele cada vez mais. Do Trent eu nunca gostei, aquele papinho dele todo derretidinho pela Briddey não me convenceu nem um pouco e eu ficava me sentindo culpada por querer que ela terminasse com ele para ficar com o C.B. (quem nunca, não é verdade? hahaha)

O livro nos faz refletir sobre o avanço tecnológico e como estamos usando isso no nosso cotidiano, a tecnologia que temos ao nosso dispor nos deixa acostumados com as facilidades e muitas vezes distantes até mesmo de familiares e amigos por causa disso, somos dependentes de toda essa modernização e isso não é ruim, mas por exemplo, sentar à mesa com a família sem um celular durante a refeição é algo bom e o livro nos faz pensar um pouco sobre coisas assim.

Enfim, é uma obra que recomendo bastante a leitura, com uma trama muito divertida e com personagens apaixonantes.

Minha nota para o livro

16 comentários:

  1. Gostei, não tinha visto resenha sobre esse livro ainda somente a capa, e adorei suas fotos e opinião sobre ele, não é um livro que eu leria por agora mas de qualquer forma é um que vai para minha lista, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Beatriz,
    Não conhecia o livro, mas gostei da premissa e tua opinião na resenha... Apesar de parecer um pouco complexo, é uma leitura instigante...
    Parabéns pelas fotos!

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Realmente parece ser uma obra um tanto confusa.
    Mas parece ser uma leitura gostosinha, boa para curar uma ressaca literária.
    Fiquei curiosa para conferir o enredo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Menina, como sempre, dicas maravilhosas vindas de você, né? Já no início da resenha eu fiquei curiosa quanto ao livro e já tinha decidido que ia colocar na minha listinha. Depois de ler a sua opinião sobre ele, minha vontade apenas aumentou e já anotei aqui a dica. Adorei!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oi Beatriz, que livro doido, adorei! Eu já tinha visto este livro e não fazia ideia do tema, achei bem criativo essa estória do EED, mas não vou querer esta tecnologia não, haha. É claro que uma coisa assim não poderia acabar bem. Não digo que eu vá sair correndo para comprar o livro, mas se a oportunidade surgir, leio com prazer.
    Parabéns pela resenha e por ser sincera ao revelar que achou confuso. Acontece!
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiii Beatriz

    Ja tinha lido um outro comentário sobre esse livro ser meio confuso, ainda bem que isso não chega a ser tão ruim ao ponto de cansar o leitor. Acho a história interessante, é um livro que leria futuramente sem dúvidas. Fica a dica anotada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem? Confesso que até hoje eu não entendi direito esse livro, e eu realmente achava que fosse LGBT haha. É que a capa parece ter duas garotas, mas então uma delas é um cara? Não tô entendendo nada hahaha. Mas confesso que até tenho vontade de ler, porque todo mundo tem falado bem. Acho que é normal a gente não torcer pra certos casais, mesmo que eles sejam o mote do livro hihi.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Adorei o título desse livro! E adorei a trama também! Que coisa mais louca a ideia de existir uma cirurgia pra conectar mais as pessoas emocionalmente... Realmente o povo não põe limites no uso da tecnologia. E acabei de torcer pra um casal não dar certo pra dar chance de outro acontecer no livro que estava lendo... Acontece... Rs...

    ResponderExcluir
  9. Pela sinopse o livro parece ser bem confuso mesmo, mas ao mesmo tempo parece ser bem divertido, do tipo comédia romântica.
    Fiquei com vontade de ler. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  10. Eu adoro narrativas que fazem a gente refletir sobre o uso das tecnologia. A gente encontra esse tema em ficções científicas e em distopias, né. Mas esse livro parece ser um daqueles romances fofinhos com uma pegada de ciências. Eu gosto muito dessa capa. A Suma tem publicado livros interessantes e com capas bonitas.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Beatriz! Eu quase solicito esse livro para ler pela editora. rsrs
    Eu achei trama atraente, acho que no começo pode parecer mesmo confusa, mas pelo que percebi, a leitura vale muito a pena!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  12. Ai, meu Deus, que confusão haha! Eu acho que também surtaria se estivesse no lugar dela haha. Achei o enredo muito interessante e até divertido, principalmente por conta desse experimento. A sua resenha está ótima e gostei de saber a sua opinião. Estou curiosa para saber como será o desenrolar dessa história. Bjss!

    ResponderExcluir
  13. Gente que loucura de enredo! Não conhecia o livro, e mesmo tendo pedaços confusos, me interessei.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  14. oi, Bea. Infelizmente dessa vez a premissa não me atraiu, não curto romances, nem que venham mascarados com pitadas de critica social e afins...como no caso aqui é a tecnologia... mas enfim... ainda por ter me soado confuso em alguns momentos... dessa vez passo...
    bjs...

    ResponderExcluir
  15. Eu achei o livro interessante porque eu gosto de heroínas, livros estilo chick lit, e quando elas são meio estabanadas gosto mais ainda. No entanto, pelo livro falar de tecnologia e usar umas expressões diferentes eu acho que a leitura poderia me deixar um pouco confusa também. Contudo, acredito que se eu visse na livraria compraria só de olhar a capa, pois é bem o estilo de livro que normalmente me chama a atenção.

    ResponderExcluir
  16. Tenho vontade de ler esse livro, pra ser honesta, desde que vi a capa, depois de algumas resenhas, a vontade só aumentou e está na lista de leitura de livros que quero ganhar de presente hahahahahha a ideia me faz lembrar de Bauman

    ResponderExcluir