27 de fevereiro de 2018

[Resenha] Volte Amanhã

Título: Volte Amanhã
Autor: Reinaldo Fontes
Editora: Autografia
Páginas: 158
Ano: 2017
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora


Sinopse: Gabriela Moraes pode ter diversos defeitos, mas certamente autoestima não é um deles. Para ela, os desafios diários não passam de pequenos testes para a sua parede mental de persistência. Acostumada a olhares de reprovação, ela sabe que precisa de uma força duas vezes maior que as dúvidas que a cercam. É com essa força que ele enfrenta a distância de sua família, a opressão velada vivenciada em sua universidade e o medo de sucumbir a um improvável amor.

Resenha
Essa resenha contém uma área destacada no final onde há spoiler, são parágrafos em vermelho e dentro de uma caixa. 

Gabriela Moraes é uma jovem estudante de Direito, cheia de alegria, com uma condição financeira estável e uma autoestima elevadíssima. Ela se esforça para alcançar os seus objetivos e realizar os seus sonhos. Mas a sua vida nunca foi fácil. Gabriela precisou aprender a conviver consigo mesma e a lidar com as opiniões preconceituosas das pessoas desde muito cedo.

Com uma personalidade marcante, Gabriela atrai olhares por onde passa e nem sempre de aprovação. As pessoas a julgam sem ao menos conhecê-la. Fã de carteirinha da Valesca Popozuda, "vida loka" e espalhafatosa, Gabriela não se deixa abater pela discriminação que recebe diariamente apenas por ser quem é.
A sua família reprova as suas ações, por isso vive afastada deles. Conta apenas com o total apoio de sua melhor amiga. As duas se conheceram na faculdade e a amizade foi instantânea. Gabriela não sentia falta de um relacionamento em sua vida, mas quando Cadu apareceu bagunçando os seus sentimentos ela descobriu que podia se permitir amar.

Cadu aceitou a Gabriela do seu jeitinho e mostrou que não se importa para o que as pessoas pensam, o importante é ser feliz e aproveitar os momentos. Não que ela precisasse ser aceita por alguém. Não mesmo. Gabriela entende que amor próprio é essencial e se a outra pessoa não gosta de algo em você, azar o dela e bola para frente. Mas ser acolhida tão bem pelo homem por quem ela se interessou fez toda a diferença.
Gabriela enfrenta diariamente o assédio de seu professor, ele é um homem respeitado e influente no meio acadêmico, mas é asqueroso e a persegue. O professor fica cada vez mais invasivo, ousado, sujo. Ela luta contra as suas investidas, mas não sabe até quando isso vai continuar, é a sua palavra de aluna contra a de um professor renomado, e levando em consideração o seu histórico social as suas chances são ainda piores. Então ela se esquiva o máximo que pode.

As coisas estavam indo bem para ela, tanto na vida pessoal quanto na relação com Cadu, mas algo muito ruim acontece e Gabriela fica completamente destruída. É quando todas as suas forças e a sua autoconfiança a abandonam. Gabriela passa a ser julgada pela sociedade por algo que ela não fez, precisa encarar humilhações e erguer a cabeça para não afundar ainda mais. Mas em meio às dificuldades que surgem, ela vai ter o apoio daqueles que sofrem com a intolerância assim como ela.
"Quando eu era criança, acordava cedo e corria, no silêncio do meu quarto, para ver o que o espelho me dizia. E sabe do que mais? Aquela projeção sorria de volta para mim e dizia: volte amanhã."
Minha impressão
Bom, é difícil falar sobre esse livro. Eu demorei muito para me interessar pela trama, só comecei a me atrair pela leitura do meio para o final. Me irritei demais com algumas coisas no começo do livro (já vou falar sobre) e não me envolvi com a personagem. Mas um determinado acontecimento despertou a minha atenção.

Gabriela é muito confiante, chega a ser exagerada e isso foi o que me incomodou, ficou algo muito forçado. Agora, o que mais me irritou mesmo foi ela chamar a própria consciência de Gabizord! Se fosse uma vez tudo bem, mas a sequência com a que a expressão aparece é altíssima, cheguei a contar 5 vezes de uma página para a outra. Depois até pude entender o porquê da personalidade dela, no entanto continuo achando forçado e cansativo.

A obra aborda assuntos pesados e sem quaisquer avisos sobre o que vamos encontrar pela frente, as coisas são apresentadas de repente e de maneira chocante. Se fosse um livro policial ou de suspense talvez não surpreendesse tanto, mas aqui esperamos por um romance fofo e não é bem o que acontece, embora haja um romance. No parágrafos em vermelho vou falar a respeito deles e vai ter SPOILER, se não quiser ler é só pular para o que está fora da caixa.

ÁREA DE SPOILER
Gabriela é vítima de um estupro e a cena é detalhada, é um momento que provoca sentimentos ruins e me perturbou bastante. Pouco depois dessa cena é feita uma revelação chocante, foi quando eu comecei a me interessar mais pela leitura. É quando conhecemos o passado de Gabriela. Acho que se esse fato fosse mostrado no começo a minha interação com a personagem e com o livro teria sido maior, também acredito que falar sobre isso pode despertar mais interesse na obra. No parágrafo a seguir o spoiler é ainda maior, caso não queria ler pule para o fora da caixa. 

Gabriela é uma transgênero e sofreu muito com seu corpo na infância e adolescência, nasceu em corpo de menino e até conseguir compreender que estava no corpo errado, que na verdade era uma menina, foi difícil. Os pais não a aceitaram e na rua era ainda pior. Com a maioridade conseguiu mudar definitivamente de gênero, mas continuou sendo vítima de discriminação. 

Essa resenha ficou enorme, mas eu precisava falar os motivos pelos quais eu não gostei e também os motivos de eu ter gostado. Se você não leu a área de spoiler vou resumir sem revelações. Volte Amanhã explora temas pouco vistos na literatura e isso é muito interessante, deveria ter mais livros falando sobre isso, acredito que pessoas que passem pelo que Gabriela passou poderiam encontrar voz e inspiração com a leitura. Porém, até chegar às revelações onde esses temas são abordados o livro me desagradou e me irritou profundamente.  Recomendo a leitura pela representatividade encontrada no final da obra, mas o começo é cansativo.

Minha nota para o livro
.

11 comentários:

  1. Olá!

    Não resisti e li os spoilers também, porque eu sabia que ia ficar curiosa e confusa se não o fizesse. A representatividade é algo que me chamaria para o livro logo de cara. Já li um livro com esse tema e amei demais. Mas o fato de ter uma cena de estupro me faz correr dele. Eu evito ler livros que tenham cenas assim descritas, pois sempre fico muito chocada, impactada e passo mal.
    Gostei muito de sua resenha, de sua sinceridade aqui e acho que a história pode ter muitos ensinamentos. Mas dessa vez, por conta dessa cena em questão, passo a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adorei sua resenha e me interessei muito pela obra apesar de não ter gostado também dos pontos que você achou negativos. Sigo muitas pessoas empoderadas e mesmo elas têm seus momentos de introspecção e insegurança, logo, também acho forçado e até perturbador uma pessoa com segurança "absoluta".
    Não li a parte dos spoilers, porque quero mesmo ler o livro e aproveitar a leitura
    Bjs e obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que apesar de me simpatizar com a trama não sei se iria ler, uma vez que não gosto da personalidade dos personagens, principalmente a protagonista, mesmo que os assuntos abordados sejam relevantes eu não tenho o habito de continuar leituras arrastadas. Dessa vez passo a dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá! Confesso que não me interessei pelo livro apesar da protagonista ter personalidade forte, esse exagero de certas características da personalidade me fez ficar com um pé atrás..
    Suas fotos ficaram lindas e devo dizer que amei você ter separado a parte com spoiler da sua opinião em si <3 Sério manoo mil coraçõezinhos por isso hahah

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Eu acho que esse tipo de livro é ótimo para entendermos o porquê "personalidade forte" no mundo real incomoda tanto. Acho que é, justamente, porque estamos tão condicionadas à baixa auto-estima que, quando alguém ao contrário disso aparece, a pessoa parece totalmente "errada". Eu não sabia dizer se a personalidade forte da protagonista é forçada, mas gostei do fato de isso se contrapôr ao fato de que é uma garota - e, claro, garotas autoconfiantes incomodam demais hahaha. O spoiler de ela ser transexual me interessou muito, bem mais do que a violência sexual, então, leria o livro por causa disso. Gostei muito da sua resenha, não conhecia o livro, e ela me fez querer lê-lo.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina. O que me incomodou no livro não foi a personalidade forte nem a alta autoestima da personagem, foi o fato de ter ficado completamente exagerado e ela chamar a consciência de Gabizord, nossa, pelo menos duas vezes em cada página!!! isso me tirou do sério. Eu gosto de livros com mulheres empoderadas e cheias de si, mas o que aconteceu nesse foi o autor estereotipar as transgêneros.

      Excluir
  6. Olá, pelo que entendi os assuntos abordados são pesados. A personagem me parece muito normal, sem aspectos diferentes. Possivelmente, eu não leria essa estória. Mas adorei sua resenha e como expôs as características do livro.
    Abraços.

    Menino Livros, Haulisson.

    ResponderExcluir
  7. Olá Beatriz!
    Essa parece ser uma trama que tira o leitor da zona de conforte e principalmente por ter um tema bem pesado ai no meio da narrativa.
    Sinceramente não sei se chegaria a ler, justamente por não gostar desse tipo de cena, e é uma pena pois com a premissa tinha tudo para ser uma ótima leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Olá Bia, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse título, mas confesso que não me senti muito interessada em fazer essa leitura, não pelo drama que temos nela, nem pelo detalhamento da cena de aborto, mas porque eu fiquei com a impressão que esse livro foi forçado, sabe? Sua resenha ficou extraordinária, mas não me sinto impelida a ler.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    Eu não conhecia o livro, achei a capa bonita, mas fiquei em dúvida porque me deu certo receio em relação ao enredo lendo sua resenha, que ficou ótima, por sinal, me parece que a coisa está um pouco estereotipada e de alguma forma, lembrei de SENSe8

    ResponderExcluir
  10. Oi, bia, parece um livro bacana, embora não sei se eu leria. Assim como você, eu provavelmente me irritaria muito com essa confiança forçada, porque acho que tudo tem um certo limite e depende como construímos algo fica meio difícil de acreditar, e que pena que não teve pistas sobre o grande acontecimento, eu li os parágrafos de spoilers e achei bacanas, mas talvez a autora deveria ter soltado pistas antes. Em fim, valeu pela dica.

    ResponderExcluir