15 de janeiro de 2018

[Resenha] Passarinha

Título: Passarinha
Autora: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Páginas: 224
Ano: 2013
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora


Sinopse: No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. 
Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo.
Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária. 

Resenha
Caitlin é uma menininha muito doce, inteligente e talentosíssima, ela tem apenas 10 anos, mas consegue fazer coisas incríveis para a sua idade. No entanto, ela sofre preconceito e discriminação por ser portadora da Síndrome de Asperger ("A Síndrome de Asperger, enquadra nas perturbações do espetro do autismo, é uma condição que afeta o modo como uma pessoa comunica e se relaciona com os outros." - Fonte: APSA). 

Caitlin perdeu a mãe há algum tempo e morava com o seu pai e irmão. Devon (o irmão) era o seu melhor amigo, o único que sabia realmente como entendê-la; ele dizia a ela quando não devia fazer sons estranhos para não assustar as pessoas, quando não era apropriado ficar agitando as mãos freneticamente, ou quando não deveria ficar chupando as mangas das camisas; Devon era tudo para Caitlin. Mas ele morreu e sem ele Caitlin se sente meio perdida. 
A morte do irmão deixou o pai dela muito abalado. Foi um episódio extremamente cruel e mexeu com toda a comunidade. O pai de Caitlin parece não saber aguentar mais a vida depois que perdeu o filho, mas Caitlin necessita dele mais do que nunca. Restaram apenas os dois e ele vai precisar aprender a lidar com Caitlin e a compreendê-la. 
"Estou tremendo e chupando o punho da blusa e tentando parar de pensar no Dia Em Que A Nossa Vida Desmoronou mas quando abro os olhos o armário de Devon está olhando para mim e por isso escorrego do sofá e engatinho até ele e puxo o lençol pela barra e empurro para baixo do armário e entro nesse peito oco e vazio e imagino que sou o Coração. O Coração de Devon."
Junto com a orientadora da escola, Caitlin está trabalhando em melhorar as suas habilidades interpessoais, a orientadora a incentiva a fazer amizades, a Olhar Para A Pessoa e tenta fazê-la entender as emoções. As outras crianças agem de maneira cruel algumas vezes e Caitlin não consegue perceber isso, simplesmente continua tentando fazer o que a orientadora lhe pediu. 
Caitlin não gosta de misturar as cores, prefere o preto e o branco com toda a sua clareza e segurança. Ela leva tudo ao pé da letra, o que gera desentendimento com as outras pessoas (incluindo o seu pai) ao falarem expressões no sentido figurado. Ela gosta muito de dicionários e quando se depara com a palavra desfecho compreende que ela e seu pai precisam disso.
"E então eu me escuto gritar para o mundo inteiro enquanto penso na minha cabeça, Agora eu sei como chegar à vivência emocional de uma situação de vida difícil! e a Sra. Johnson aperta meus ombros e eu nem me importo e ela grita, O que foi? O que foi? e eu grito alto o bastante para Devon me ouvir do céu, EU CAPTEI O SENTIDO! EU CAPTEI O SENTIDO! EU CAPTEI O SENTIDO! EU CAPTEI O SENTIDO!"
Caitlin passou muito tempo procurando um meio de chegar ao desfecho, quando finalmente descobre ela fará de tudo para alcançá-lo.
Minha impressão
Passarinha é uma obra comovente e nos envolve através da narração de Caitlin. Estou muito grata à Editora Valentina pela oportunidade de conhecer essa história. Esse não é só mais um livro, é um livro cheio de sentimentos e com mensagens importantes, uma obra que penetra o universo infantil de uma  portadora da Síndrome de Asperger e conta em detalhes as dificuldades enfrentadas por Caitlin.

No decorrer da leitura podemos acompanhar como Caitlin se esforça para melhorar sua relação com as outras pessoas ao mesmo tempo em que quer chegar ao desfecho e ver o seu pai sorrindo novamente. É doloroso ver como ela é tratada pelas outras crianças e nem mesmo se dá conta de que está sendo discriminada. Mas ela é persistente e com o seu jeitinho vai conseguindo se aproximar mais das pessoas, ainda que não queria ninguém invadindo o seu espaço pessoal.

O final do livro é muito emocionante e eu gostei muito de como a autora conduziu a trama. Os capítulos são curtinhos e dá para ler bem rapidinho. A capa é tão linda, só de olhá-la é possível saber que a leitura será comovente.

Uma obra que eu recomendo demais e acredito que seja qual for a idade do leitor ela emocionará igualmente.

Minha nota para o livro

15 comentários:

  1. Ah, meu coração não aguenta!
    Desde o meu primeiro período na faculdade, a inclusão se tornou uma paixão para mim e pessoas tão especiais como a personagem do livro são as que mais me encantam na vida real, inclusive porque conheço uma que age bem parecido com ela, pelo o que notei em sua resenha. Sem dúvidas é um livro que quero e vou ver. Ele subiu lá pro primeiro lugar dos meus desejados <3

    ResponderExcluir
  2. Já senti meu coração apertado por Caitlin, só pela resenha já me comovi. Já conhecia o livro a algum tempo, mas nunca tinha lido a fundo do que se tratava e pelo visto estou perdendo uma grande e reflexiva história.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu amo livros com capítulos curtos porque facilitam tanto a leitura! É bom demais! Amo essa capa e ela sempre me deixa intrigada. Lendo sua resenha percebi como a obra me agradaria, já salvei sua resenha e estou aguardando uma promoção para poder adquirir a obra.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Vi falarem bastante deste livro há um tempo, porém agora fazia tempo que não via ele, hehe. Adorei tua resenha e fiquei bem curiosa pra ler a estória, que parece ser bem emocionante e comovente...

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oii tudo bem ?
    gostei bastante da sua resenha , confesso que fazia tempo que não via esse livro que tinha ate me esquecido dele
    darei uma chance não agora mais em breve ...

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oiii Beatriz

    Já ouvi diversos elogios á esse livro e realmente deve ser muito tocante a história toda, ver o mundo através dos olhos dessa menininha com a Sindrome de Asperger. Que bom saber que o final vai de acordo a qualidade e intensidade da trama toda, parece ser uma história diferente que deixa o leitor bastante comovido mesmo.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Olá Beatriz, esse livro parece estar bem bacana e com um enredo bem tocante *-* Fiquei bem curiosa para lê-lo, adorei a dica.

    ResponderExcluir
  8. Olá, quero muito ler Passarinha! Eu gosto bastante de obras que abordem a Síndrome de Asperger, e pelo seu post esse parece ser maravilhoso.

    ResponderExcluir
  9. Oi Beatriz, tudo bem? Esse livro já estava na minha lista, poxa fiquei triste porque ao ler a sinopse em outro site, não sabia da morte de Devon. Continua na minha lista de futura leitura. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Meu Deus, eu tenho um primo com essa síndrome e é realmente assim. Ele é sistemático, assim como Caitlin tem suas próprias manias. Eu preciso ler esse livro, pois tenhoc erteza que me ajudará a entender melhor a situação, e também por me emocionar com essa narrativa. Amei seu post!

    ResponderExcluir
  11. Nossa, amei demais o livro mas nunca havia o visto. Já li muitos com a presença de um personagem autista, amei como a sinopse foi escrita está demais. Chama a atencão e é fascinante, com toda certeza vou o ler. Até a próxima e ótima resenha ^^

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Esse livro realmente tem um tema delicado e emocionante! Gostei dos pontos que você destacou da obra e embora ainda não tenha tido a oportunidade de ler, ele está na minha lista e espero ler em breve.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Sou encantada pelo enredo dessa obra. Ainda não tive a oportunidade de ler, mas vontade não falta. Imagino o quão emocionante é envolvendo ela deve ser, até mesmo pelo drama que a narrativa traz. Adorei a resenha.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  14. Sempre tive muita curiosidade de ler esse livro, ele está na minha lista a muito tempo, amo livros com uma boa carga emocionai, com reflexão, que mexe com o leitor sabe?
    Amei a premissa, e sua resenha está linda. As fotos maravilhosas.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem? Tenho muita vontade de ler essa obra, ainda mais pois a grande maioria que realiza a leitura, diz ser uma estória emocionante. Bem do tipo que adoro. Mas, ainda não tive essa oportunidade. Espero mudar isso em breve. A sua resenha está ótima e me deixou ainda mais curiosa. Preciso dizer também que esse marcador é simplesmente lindo! Já quero :) Beijos.

    ResponderExcluir