20 de outubro de 2017

[Resenha] Suicidas

Título: Suicidas
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 432
Ano: 2017
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora para ser resenhado no blog Thays M. de Lima, onde essa resenha foi originalmente postada por mim.

Sinopse: As evidências indicam que os nove jovens encontrados mortos no porão de uma casa de campo participaram de uma roleta-russa. o que ninguém consegue responder é por que esses jovens, aparentemente felizes e privilegiados, decidiram se envolver em um jogo tão tenebroso. Um ano após o incidente, a delegada Diana Guimarães ainda junta as peças desse quebra-cabeça sangrento e convoca as mães dos suicidas a uma investigação - criminal e emocional - para entender o que realmente aconteceu.
Resenha
Nove jovens resolveram se matar. Eles foram para uma casa de campo e se trancaram no porão, lá eles começaram uma roleta-russa com as suas próprias regras. O que aconteceu ali é algo intrigante e a polícia tenta entender o que os levou a essa decisão. No local foi encontrado um caderno com anotações que foram feitas em tempo real por um dos suicidas.

Alessandro sabia que quando os corpos fossem encontrados o caso seria noticiado pela mídia e ganharia grandes repercussões. Ele era escritor e sonhava em ter um livro publicado por uma editora,  resolveu narrar em tempo real o que aconteceu nos momentos que antecederam as mortes de cada um deles - seria a sua grande jogada, a tacada final. O seu livro seria um best-seller, mesmo que ele precisasse morrer para isso acontecer.
A polícia encontrou o caderno/livro e o manteve em segredo das famílias por um ano, eles precisam estudar o conteúdo e fazer as investigações. No quarto de Alessandro foram encontradas algumas anotações e elas esclareceram alguns pontos, porém muita coisa ainda permanecia oculta e a polícia precisa da ajuda das mães dos jovens. Então, um ano depois, a delegada Diana Guimarães marca uma reunião apenas com as mães e lhes revela o caderno, mais que isso, ela lê para as mães tudo o que nele está escrito.

Através do caderno/livro nós acompanhamos o que aconteceu naquele porão e vemos vir à tona o pior do ser humano, o lado mais obscuro de cada um dos jovens suicidas. O resultado final da roleta-russa foi uma cena hedionda. Atrocidades aconteceram, o pânico e o horror estiveram ao lado deles em seus momentos finais. A situação saiu do controle e eles não puderam fazer nada.
Através das anotações encontradas no quarto de Alessandro nós podemos conhecer um pouco mais sobre cada um dos jovens que participou do jogo. Vemos as suas personalidades e descobrimos um pouco dos seus segredos. Mas somente no porão é que os conhecemos de verdade, é ali, diante da morte iminente, que cada um revela o seu lado que ninguém mais conhecia, aquele que se manteve escondido dentro deles.

Na reunião com a delegada, as mães ouvem o que aconteceu com os seus filhos, nenhuma delas sabia sobre a existência do caderno/livro e o clima fica tenso. Os corpos foram encontrados em um estado deplorável, alguns só puderam ser identificados pela arcada dentária. E é esse estado em que ficaram os corpos que mais intriga a policia. Como um jogo de roleta-russa em que todos os nove participantes se suicidaram acabou dessa maneira? O que aconteceu após o último jovem se matar? São essas e outras questões que a delegada espera responder com a reunião.
Minha impressão
Suicidas é um livro que te prende à leitura até o final. A trama é eletrizante e capaz de despertar os mais variados sentimentos. Algumas cenas são tão fortes e perturbadoras que provocam repulsa, asco. Uma das cenas me deixou chocada e até precisei parar um pouco para respirar, e o autor escreve de uma maneira tão realista que somos capazes de enxergar as coisas acontecendo bem diante de nós. 
"Tentei desviar o olhar, mas não consegui. Minha própria dose de sadismo me fazia querer ver cada detalhe do ato. Sou curioso. Assim como você, leitor, que percorre com avidez estas linhas, eu queria saber exatamente o que ia acontecer. Por mais macabro que fosse. Por mais louco. E não me importo. Não se importe você também. Ninguém está olhando... Ninguém vai nos condenar por estes segundinhos de sordidez..."
Não dá para falar muito sobre esse livro porque ele é bem intrincado, tudo está ligado. Mas uma coisa eu digo: nada é o que parece! A trama é genial, muito inteligente e cheia de surpresas ao longo das páginas. Raphael Montes se tornou um dos meus autores de livros policiais preferidos e quero muito ler outras obras dele.

O final é totalmente surpreendente, cada detalhe que nos foi contado no decorrer da história vai ter significado quando todas as cartas forem postas à mesa. Prepare-se para uma leitura que vai mexer com você.

Minha nota para o livro

7 comentários:

  1. Se a sinopse do livro não tivesse me ganhado (e me ganhou), sua resenha teria feito. Eu sou muito chata para livros policiais, ou eles me ganham na sinopse, ou eu nem tento. Bem, esse tem todos os elementos que parecem me deixar vidrada. Fiquei com certo medinho dessas cenas de "asco", mas minha curiosidade, realmente, é maior. Entrou para a minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Nossa, esse livro parece ter tudo o que eu gosto, ein?! Principalmente a parte do final surpreendente, haha. Adorei tua resenha, certamente irei ler o livro!

    ResponderExcluir
  3. Parece ser um livro que te prende mesmo, só de ler seu post eu já fiquei curiosa a respeito do motivo para esses jovens terem morrido dessa maneira.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  4. Olá Beatriz!
    Tenho muita curiosidade em conhecer a escrita do autor. Sua história parece bem envolvente e repleta de cenas que deixam a gente ligadão na trama.
    Espero ler em algum momento.
    Dica anotada!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Oi Bea,
    Sua resenha me deixou com mais vontade ainda de conhecer essa obra do Raphael, eu ainda não li nada dele infelizmente mas quero muito. Esse livro parece ser bem instigante e com certeza vou precisar de coragem porque minha imaginação rola solta demais e você falou que tem algumas cenas bem fortes, mesmo assim com certeza gostaria de ler, assim que conseguir grana para comprar. EHEH.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. esse foi o primeiro livro que ouvi falar do autor e até hj nao tive chance pra ler... gosto bastante da premissa dele. já me indicaram ler Raphael, assim que pintar a oportunidade, começo por Suicidas...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  7. Beatriz, eu só li O vilarejo do autor e ele me deixou com um misto de sentimentos.
    Pelo que você falou o livro é muito bom, mas eu não sei se teria estômago e coragem para ler.
    Mas que deu uma certa curiosidade de saber como os corpos ficaram no estado que foram encontrados, isso deu.

    ResponderExcluir