21 de agosto de 2017

[Resenha] As Chances Que a Vida Dá

Título: As Chances Que a Vida Dá
Autora: Quitéria Vargas
Editora: Giostri
Páginas: 224
Ano: 2017
Adicione ao Skoob
*Cortesia da autora


Sinopse: Beatriz, uma adolescente que teve uma infância triste e abusiva e juventude problemática, agora se encontra no maior dilema de sua vida. Após se apaixonar por um rico norueguês, ela termina cúmplice de assassinato, em meio a uma teia de intrigas, mentiras, mortes, abusos e dinheiro, onde não se pode confiar em mais ninguém. Nessa história nada é o que parece ser e seu inimigo pode estar dentro de você.

Resenha
Beatriz é uma jovem que aprendeu muito cedo as dificuldades da vida. Ela teve a infância roubada e ainda criança passou a acumular feridas na alma. Beatriz é moradora do Complexo do Alemão e vive uma triste realidade das favelas do Rio de Janeiro. Sua mãe, infelizmente, vive em completa negligência com os seus filhos e Beatriz é quem precisa assumir a casa e cuidar dela mesma, dos irmãos, da mãe e dos namorados da mãe.

A mãe de Beatriz nunca se importou com os filhos e os deixava largados, passando necessidades. Ela era casada com um vagabundo e estava presa a um relacionamento abusivo, agia como se a sua vida dependesse dele. Os filhos presenciaram coisas que criança alguma deveria imaginar, como agressões e cenas de cunho sexual protagonizadas pela mãe e pelo padrasto (Que não paravam ao notar a presença das crianças).
Por volta dos onze anos, Beatriz começou a beber, a frequentar bailes funk pelas madrugadas e logo percebeu que o seu corpo - não totalmente desenvolvido, afinal, ainda era uma criança - chamava atenção dos homens. A sua fama no morro era péssima e os boatos que corriam eram deploráveis, mas logo se tornariam verdade.

Sentindo a barriga doer de fome e vendo os seus irmãos na mesma situação, Beatriz começou fazer favores sexuais para um velho pedófilo em troca de dinheiro e coisas para dentro de casa. Alheia a essa situação, a mãe não queria saber de onde vinha o dinheiro, só queria saber de comer e aproveitar a vida ao lado do marido (depois, ao lado dos namorados).
Com o passar dos anos, Beatriz começou a trabalhar como garota de programa. Sua adolescência foi tão sofrida quando a sua infância. Ela passava as noites fazendo programas, se sujeitando a todo tipo de coisa, atendendo aos mais sórdidos desejos de seus clientes. Todo o dinheiro que ganhava era para dentro de casa. Beatriz era uma adolescente que carregava um fardo muito pesado.

Sem se iludir com as promessas feitas, ela seguia com o seu caminho. Mas Beatriz teve dois clientes que foram especiais e chegaram a balançar um pouco o coração quebrado dela. Com um deles ela acabou se envolvendo em um crime e foi cúmplice de assassinato. Com o outro, ela começou a viver um sonho... até o momento em que acordou e se deparou com uma situação desesperadora, sem ter ideia de como sair dela.
Minha impressão
"As chances que a vida dá" é um livro baseado em fatos e mostra a triste realidade das periferias do Rio de Janeiro. Os relatos da jovem Beatriz são surpreendentes e de rasgar o coração. Vemos uma criança ser arrancada da sua inocência para ser jogada em uma sujeira. 

A personagem desse livro se chama Beatriz, mas nas ruas, nas calçadas de Copacabana, nos morros, encontramos muitas outras, Lauras, Joanas, Eduardas, Sofias... não importa o nome, são todas mulheres que têm um passado cruel a contar; um presente em que precisam levantar dia após dia e se obrigarem a continuar batalhando para levarem o sustento para as suas famílias; e um futuro incerto, mas que sonham com dias melhores. 

Beatriz recebeu uma chance na vida, uma em um milhão, infelizmente, nem todas têm essa chance. Esse livro é chocante e a autora possui uma escrita realista ao ponto de nos levar para dentro dele, talvez por ser inspirado em uma história real.

A protagonista sofreu muito, mas também cometeu muitos erros. Ninguém é perfeito e Beatriz fez as suas escolhas ao longo da vida, algumas boas e outras não e teve que lidar com as consequências de cada uma delas. 

O livro deixa muitas mensagens e vou deixar aqui um dos trechos mais marcantes e que serve como um alerta:
"Quero dizer a vocês, MAMÃES, conversem com seus filhos, filhas. Expliquem, controlem, fiquem em cima, orientem. Às vezes tudo o que o jovem precisa é disso, e quando se nasce em periferia o cuidado dos pais se faz ainda mais necessário. Nos dias de hoje a falta de uma conversa aberta, de uma orientação, pode ser fatal. Por isso, pais, cuidem bem de seus filhos, dos seus netos. A vida é muito preciosa para se perder em qualquer esquina, em qualquer beco ou viela. A vida é muito mais que cigarros e álcool. Muito mais do que bailes e festas, a vida não é só ostentação e luxúria."
Esse trecho já fala tudo, eu só quero ressaltar que não só as mães tem o dever de conversar e orientar os filhos, os pais também. Mas ela fala sobre mães porque foi criada só pela mãe e jamais teve o apoio que precisava, não teve amor, não teve alguém em quem se espelhar. 

Minha nota para o livro

13 comentários:

  1. Beatriz, não conhecia o livro, mas fiquei com muita vontade de ler.
    O livro é bem realista e isso me chama muita atenção.
    Uma história real e forte que mexe com a gente.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, ainda não conhecia esse livro, mas achei incrível! Essa história parece ser o tipo de narrativa que eu gosto, pois traz muita reflexão e realidade. Dica anotada!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, parece ser um livro bem forte e ao mesmo tempo que expõe a realidade triste de muitas mulheres que se encontravam naquela situação. Fiquei curiosa em relação ao enredo, estou ansiosa para saber como será o final dessa história. Obrigada pela dica Bjss!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e nem a autora, mas confesso que não pretendo ler. Apesar de ser um assunto importante e, infelizmente, muito real, não estou no clima para este tipo de leitura.
    É um tema muito pesado e, sinceramente, não é o tipo de livro que procuro ler.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e fico feliz que você tenha gostado do livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. É um livro bem forte, hein? Infelizmente representa a realidade de muitas brasileirinhas. Fico horrorizada como a história da protagonista é reflexo de muitas jovens. Família é tudo, criança precisa de estrutura. Enfim, parece ser um livro e tanto. Esse devia ser traduzido para muitas línguas e virar best seller internacional. Gostei de conhecer o livro, não conhecia. Mais uma dica valiosa aqui do blog. Amei sua resenha e impressão. Muito sucesso com seu blog, ele tá lindo. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Primeiramente já adorei por relatar um lado tão esquecido do RJ: as periferias. Sou carioca, e sei que o universo lá dentro é bem diferente, e vendo ele se retratado num livro de forma "fiel", com certeza seria algo que leria. Podemos com certeza tirar grandes lições dele e já estou bem animada em conferir. Gostei mesmo!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Bia, nossa que livro mais real! Apresenta a realidade de muitas famílias e essa coisa de pais negligentes que acabam sobrecarregando filhos mais velhos pq precisam cuidar dos irmãos mais novos. Fico me perguntando pq essas pessoas têm filhos se não tem a menor aptidão para cuidar e dar amor.
    Presenciar agressões e cenas de sexo é um ataque à criança e falo isso com conhecimento, pois trabalhei durantes 4 anos com violência doméstica e atendi casos que só por Deus.
    É um livro muito interessante para se trabalhar temas diversos atuais e importantes. Obrigada notei como desejado.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Você conhece o livro "Nas esquinas da vida", da Editora Vida e Consciência?
    As histórias são parecidas e tenho certeza que você iria adorar.
    Fiquei curiosa em saber o que aconteceu com o outro cliente kk
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu não conheço o livro, mas vou procurar por ele. Obrigada pela dica.

      Excluir
  9. Oiii!

    Bia, eu não conhecia o livro e achei ótimo ver por aqui... É uma obra bem sensivel, algo que eu gosto bastante. Outra coisa que eu achei bem legal é o fato de trazer muita veracidade isso é maravilhoso!
    Já anotei a dica

    Beijnhos

    ResponderExcluir
  10. Olá!! :)

    Eu confesso que nunca tinha ouvido falar deste livro. Não quero ler por não fazer nada o meu género de leitura, mas ainda bem que gostaste!

    Foi bom ler a tua opinião!... E, sim, o trecho escolhido e bastante elucidativo quanto ao tema e tipo de livro.

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Oiii! Puxa, que história forte! Só de pensar que, nesse caso, a arte imita a vida, me embrulha o estômago. Quantas Beatrizes, Marias, Joanas, Paulas etc. que não passam por essa situação. :´(
    Gostei muito da resenha, mas me falta estômago para encarar uma obra que escancara a realidade de tantas meninas assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nossa, é uma história super forte, heim? Não sei se leria no momento, acho que ficaria muito para baixo, apesar de ser uma triste realidade que várias pessoas enfrentam. Adorei poder conferir as suas considerações e espero que vários leitores possam realizar essa leitura, que parece ser ótima.
    Beijos.

    ResponderExcluir