17 de fevereiro de 2017

[Resenha] O Homem de São Petersburgo

Título: O Homem de São Petersburgo
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Ano: 2016
Leia a sinopse no Skoob
*Cortesia da editora

Resenha
1914, uma guerra está prestes a estourar e a Alemanha se prepara para atacar. Os Aliados precisam do apoio da Russia e na Inglaterra um acordo secreto está em andamento. Mas Félix, um anarquista, fará de tudo para impedir que ele seja assinado e vai tentar matar o príncipe russo. Ele só não esperava que o seu passado interferiria de maneira tão significativa em seu presente. Continue lendo a resenha e saiba mais sobre a obra.
Alemanha e França estão em conflito e a guerra pode começar a qualquer momento, mas a Alemanha possui um enorme poder bélico e a Inglaterra, aliada da França, não poderá ficar de mãos atadas, deverá lutar também. Ambos os lados precisam do apoio da Rússia e a Inglaterra está disposta a assinar um acordo para conseguir que os russos se aliem.

Stephen Walden, um lorde conservador e estrategista, foi chamado para fazer as negociações e tudo acontece secretamente. Walden não concorda com os liberais e estava se mantendo afastado da política, mas com a guerra iminente ele não tem outra alternativa a não ser convencer o príncipe russo a assinar o acordo.
"Se a Inglaterra e a França juntas não são capazes de derrotar a Alemanha, então precisamos ter outro aliado, um terceiro país do nosso lado: a Rússia. Se a Alemanha estiver dividida, lutando em duas frentes, poderemos vencer. É claro que o Exército russo é incompetente e corrupto, como tudo o mais naquele país, mas isso não tem importância, desde que desvie as atenções de uma parte do poderio alemão."
Feliks Kschessinsky é um anarquista russo, que não tem medo de nada e é extremamente cauteloso. Seu objetivo atual é matar o príncipe russo e impedir que o acordo seja assinado, evitando que milhões de jovens russos sejam enviados ao campo de batalha. Para isso, Feliks estuda a rotina de seu alvo e verifica as melhores opções para matá-lo.

Quando percebe o momento perfeito para o seu ataque, ele põe em prática um plano bem elaborado e que imaginava ser infalível. No entanto, um elemento surpresa, que ressurge de seu passado, desvia a sua atenção... mas não o fará desistir de seu objetivo.
Enquanto Feliks busca novos meios para matar o príncipe russo, acompanhamos um outro lado da história e vemos Lydia (esposa de Walden) lutar com seus conflitos internos. Ela teve um passado vergonhoso e seus segredos mais obscuros colocariam toda a sua família em ruína. Lydia ainda vai precisar ter um pulso firme com a sua filha, Charlotte, uma jovem de dezoito anos que começou a se interessar por política.

Charlotte não aceita que tenha sido mantida na ignorância para acertos assuntos, acredita que seus pais mentiram para ela durante toda a sua vida e vai começar a descobrir as coisas por conta própria. Charlotte fica transtornada ao descobrir a realidade lamentável e dolorosa de muitas mulheres e passa se interessar cada vez mais pelas sufragistas, sendo a favor do voto feminino.
Minha impressão
O Homem de São Petersburgo é uma obra com um conteúdo histórico magnífico e está tão bem desenvolvida, que a sua trama se confunde com a realidade. Esse é o segundo livro que eu leio do autor e novamente ele me surpreende ao mesclar ficção e realidade com uma maneira tão convincente. 

Além de toda a tensão envolvendo a política, a obra também conta com um grande toque de romance e drama, envolvendo um passado que deveria se manter em segredo mas que agora clama por respostas. Lydia precisa tomar uma decisão e escolher qual lado vai seguir, ela está dividia e se sente péssima por causa disso. Deveria abandonar o seu passado e continuar com a vida do jeito que está, mas não resiste aos seus desejos mais íntimos e se desespera ao enxergar que uma tragédia poderá escolher por ela. 

Eu sou fascinada por livros que se passem em períodos de guerra ou que tenham um conteúdo histórico, mas o começo desse livro foi um pouco mais lento do que eu esperava e demorei um pouco mais para concluir a leitura, mas depois que já estava familiarizada com a trama eu não conseguia mais parar de ler e ficava cada vez mais ansiosa para chegar ao final.

E falando sobre o final, eu achei admirável e surpreendente, eu não esperava que algo do tipo acontecesse e foram momentos bem tensos.

Minha nota para o livro

10 comentários:

  1. Oi, essa capa é muito misteriosa e pela resenha, o livro todo também.
    Como você, gosto de livros que passem em época de guerra, pois sempre aprendo alguma coisa com eles.
    Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Não li ainda nada do autor mas adoro o gênero que ele escreve e gostei muito de saber que há um embasamento histórico na trama, pois acho que isso deixa o livro mais interessante. Mesmo com o início lento parece ser um livro que te prende depois que você consegue entrar na história e isso me animou, assim como fiquei curiosa pra saber qual é esse final "admirável e surpreendente". Gostei muito da dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Gosto do tema e com certeza leria.
    O pessoal fala muito bem das obras do Ken Follett.

    ResponderExcluir
  4. É incrível como Follett cria enredos mesclando realidade e ficção, assim como mescla como ninguém política, drama e romance. Não li este ainda, mas já está entre os desejados.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi
    eu conheço a escrita de Ken Follett e para mim foi excepcional, ele consegue mesmo prender o leitor e a gente fica de ressaca literária, infelizmente, ainda não li O Homem de São Petersburgo

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Adoro livros que falam a respeito dos períodos entre as Gerras Mundiais e, principalmente, aqueles que trazem um pouco mais a respeito da cultura russa, que acho fascinante. Nunca li fala desse autor, nada mesmo, mas já ouvi muitas pessoas falarem dele.

    ResponderExcluir
  7. Oie,
    Faz tempo que quero ler esse livro do Ken. A capa causa um estranhamento, mas sou fascinada pela escrita dele. Li, Noites sobre as águas e me apaixonei. Estou aguardando ele para leitura.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Nossa só vejo elogios rasgados para o Ken mas nunca li nada ainda dele. Espero mudar isso em breve porque adoro livros com temas históricos <3 Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada do Ken Follett, até pensei em comprar um livro dele na Bienal do ano passado, mas acabei mudando de ideia. Ainda tenho curiosidade em relação aos livros do autor, já que vejo muitos comentários positivos. Vou tentar ler algo dele ainda este ano.

    ResponderExcluir
  10. Ken Follett é ótimo, já li vários livros dele e acho um melhor que o outro, agora comecei a ler O Homem de São Petersburgo e tenho certeza que vou amar também.

    ResponderExcluir